sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009

A mais recente loucura da Ryanair...

Confesso que nunca voei nesta companha, mas o pessoal que conheço e já voou, não fala muito bem dela. Apesar dos preços serem competitivos, as condições são iguais aos de um autocarro de longo curso: paga-se pela comida, pela bagagem extra, etc...

Pois bem, agora a mais recente deles, que descobri hoje no jornal Público: depois de extinguirem os balcões de "check in", para ser tudo virtual, agora Michael O’Leary, o director executivo da companhia, quer cobrar... as idas à casa de banho.

Algo que já considerámos antes e que voltamos a considerar agora é a possibilidade de colocar uma ranhura para inserir moedas na porta das casas-de-banho”, disse O’Leary à estação de televisão BBC.

Questionado sobre a possibilidade de esta medida ser um inconveniente para passageiros que viajem sem dinheiro, o director executivo disse não acreditar que tivesse existido “alguém na história que tivesse viajado pela Ryanair com menos de uma libra no bolso”, preço que será cobrado pela entrada na casa-de-banho. “Estamos a encontrar formas de aumentar as receitas, para que possamos continuar a manter os preços das viagens baixos”, concluiu O'Leary.

No final disto tudo, eu pergunto a mim mesmo: vale pagar este preço para viajar de avião do modo mais barato possivel? Não compensará pagar um pouco mais pelo bilhete, viajando numa companhia de bandeira (TAP, Ibéria, Air France, British Airways...) para ser tratado como pessoa e não como gado?

2 comentários:

Ricardo Batista disse...

Posso dizer-te que já viajei na Ryanair, precisamente quando fui á Alemanha ver o Mundial de Futebol.

O que te posso dizer é que realmente paga-se ao nível do serviço, qualidade e conforto.
A Ida e Volta em Julho ficou por 120 euros, marcada cerca de três semanas e na TAP ficava por 3 vezes mais!

Essa diferença deu para a estadia e para noitadas...

Pall Mall disse...

É bom saber que não tens motivos de queixa e tiveste até lucro viajando pela companhia deles. E nem estou contra a ideia do "low cost" em si. Mas achas que a Easyjet iria ter tal ideia, por exemplo? Talvez tenha mais tarde, mas...